Arquivo da categoria: datas

“No Dia Em Que Fazia Anos”, Gregório de Matos


“Pois os prados, as aves, as flores
ensinam amores,
carinhos, e afetos:
venham correndo
aos anos felizes,
que hoje festejo:
Porque aplausos de amor, e fortuna
celebrem atentos
as aves cantoras
as flores fragrantes
e os prados amenos.

Pois os dias, as horas, os anos
alegres, e ufanos
dilatam as eras;
Venham depressa
aos anos felizes,
que Amor festeja.
Porque aplausos de amor, e fortuna
celebrem deveras
os anos fecundos,
os dias alegres,
as horas serenas.

Pois o Céu, os Planetas, e Estrelas
com Luzes tão belas
auspiciam as vidas,
venham luzidas
aos anos felizes
que Amor publica.
Porque aplausos de amor, e fortuna
celebrem um dia
a esfera imóvel,
os astros errantes,
e as estrelas fixas.

Pois o fogo, água, terra, e os ventos
são quatro elementos,
que alentam a idade,
venham achar-se
aos anos felizes
que hoje se aplaudem.
Porque aplausos de amor, e fortuna
celebrem constantes
a terra florida,
o fogo abrasado,
o mar furioso,
e as auras suaves.”

Há uma pessoa em especial que faz aniversário hoje. É bem provável que ela jamais visite esse blog, mas, se por um milagre ela aparecer,  só pra ficar registrado: te desejo toda a felicidade do mundo! Mas desejo mais ainda que a felicidade do mundo não seja a felicidade que você busca, que sua busca seja outra… Você sabe do que estou falando!

Parabéns!

20 de Julho: Dia do Amigo


“Em todo tempo ama o amigo, e na angústia se faz o irmão.”
(Provérbios 17:17)

“O homem que tem muitos amigos sai perdendo; mas há amigo mais chegado do que um irmão.”
(Provérbios 18:24)

Muita gente não se lembra, mas hoje é Dia do Amigo. E eu tenho vários motivos para estar aqui falando sobre isso. Um deles é pelo simples fato de lembrar a todos os meus amigos o quão importante são todos vocês na minha vida. Muitos têm sido companheiros próximos, que lutam comigo as batalhas do dia-a-dia. Outros, mesmo de longe, dão força e ânimo.

É incrível como o tempo passa e a gente acaba se distânciando de nossos amigos. Eu tenho experiências que envolvem amizades que dariam pra escrever um livro. Sempre fui um cara de muitos amigos, de fácil relacionamento, mas poucos eram amigos de verdade, íntimos. E sempre fui muito de fases. Hoje ando bem diferente e prezo muito mais as poucas amizades que permaneceram.

Daria tudo por um momento assim hoje...
Daria tudo por um momento assim hoje...

Outro dia mesmo estive lendo alguns blogs por aí e vi um texto sobre amizade que me fez pensar muito. Dizem ser do Fernando Pessoa, mas na Internet não dá pra confiar muito (já vi cada coisa que diziam ser do Shakespeare ou do Einstein)…

“Um dia a maioria de nós irá se separar. Sentiremos saudades de todas as conversas jogadas fora, as descobertas que fizemos, dos sonhos que tivemos, dos tantos risos e momentos que compartilhamos.

Saudades até dos momentos de lágrima, da angústia, das vésperas de finais de semana, de finais de ano, enfim… do companheirismo vivido.

Sempre pensei que as amizades continuassem para sempre. Hoje não tenho mais tanta certeza disso. Em breve cada um vai pra seu lado, seja pelo destino, ou por algum desentendimento, segue a sua vida, talvez continuemos a nos encontrar quem sabe…

Podemos nos telefonar, conversar algumas bobagens… Aí os dias vão passar, meses… anos… até este contato tornar-se cada vez mais raro.

Vamos nos perder no tempo… Um dia nossos filhos verão aquelas fotografias e perguntarão?
Quem são aquelas pessoas? Diremos… Que eram nossos amigos. E… isso vai doer tanto! Foram meus amigos, foi com eles que vivi os melhores anos de minha vida!

A saudade vai apertar bem dentro do peito. Vai dar uma vontade de ligar, ouvir aquelas vozes novamente… Quando o nosso grupo estiver incompleto… nos reuniremos para um último adeus de um amigo. E entre lágrimas nos abraçaremos.

Faremos promessas de nos encontrar mais vezes daquele dia em diante. Por fim, cada um vai para o seu lado para continuar a viver a sua vidinha isolada do passado.

E nos perderemos no tempo… Por isso, fica aqui um pedido deste humilde amigo: não deixes que a vida passe em branco, e que pequenas adversidades seja a causa de grandes tempestades. ..

Eu poderia suportar, embora não sem dor, que tivessem morrido todos os meus amores, mas enlouqueceria se morressem todos os meus amigos!”

Também quero deixar por escrito meus parabéns a um desses amigos que tenho hoje. Um dos mais antigos de todos. Companheiro de várias histórias e de bons momentos que tenho guardados na memória, do meu final de adolescência. Aniversariante, justamente, desse dia 20 de julho. Parabéns Marcus! Felicidades pra ti!