Turma da Mônica: Laços


Não sei exatamente como começar esse texto. Um misto de saudosismo e esperança me vem à mente. Saudosismo por pensar em tudo o que a minha geração viveu durante boa parte dos anos 1980 e 1990, pela influências incríveis que tivemos. Esperança por saber que gente dessa geração ainda tenta resgatar o que havia de mais incrível e passar adiante. Gente como o Vitor Cafaggi.

Desde 2009 (olha só) eu sigo o trabalho do designer mineiro que virou  ilustrador e quadrinista, virou gente grande e virou referência no meio. De Puny Parker a Valente, passando por Doutone e, agora, por suas mágicas histórias baseadas nos personagens de Maurício de Sousa.

laços
Belíssima capa de “Laços”

E foi assim que chegou às minhas mãos, com certo atraso, o exemplar de “Laços”. O livro faz parte de uma coletânea chamada Graphic MSP, que tem mostrado de forma bem singular histórias dos personagens criados por Maurício. Na primeira edição, o Astronauta ganhou uma versão mais adulta, com traços fortes. Agora foi a vez da turma mais conhecida de todas ganhar nova roupagem.

E quem melhor que Cafaggi para contar de forma singela, doce, cheia de detalhes e referências aos anos da nossa infância? Se o próprio Cafaggi já tinha mostrado talento pra isso na MSP 50 (trabalho realizado na comemoração dos 50 anos do autor, com ilustrações de 50 artistas diferentes)? E cá está o melhor trabalho já realizado pelo designer.

likeet
E.T.

Ao lado de sua irmã Lu Cafaggi, Vitor recebeu a missão das mãos do próprio Maurício de contar uma história sobre amizade. De uma amizade tão grande que supera as diferenças e as rivalidades entre meninos e meninas. Uma história contata gráfica e textualmente de forma incontestável.

Vitor e Lu tiveram aqui o trabalho de reimaginar como seriam Mônica, Cebolinha, Cascão, Magali, Floquinho e diversos outros personagens da Turma da Mônica se esses tivessem uma versão mais real, digamos assim. Desde o corte moicano de Cascão, até as perninhas gordinhas da Mônica, tudo foi repensado. E se não fosse o bastante, Lu Cafaggi ainda redesenhou os personagens em sua idade mais tenra para compor a história que inicia e fecha o livro e mostra os amigos se conhecendo e tendo o primeiro contato com o cãozinho que é peça central da trama de Laços.

Mas não é só pelas ilustrações que o livro/graphic novel ganha todas as estrelas possíveis. A história em si e a forma como é contada nos detalhes também são fantásticas. As pausas, as referências à cultura pop, as cenas repletas de significados transformam essa lição de amizade em algo que com certeza irá encantar uma nova geração de leitores.

magali
Uma referência ao carrinho de churros do Sr. Madruga (Chaves)

Laços já se tornou pra mim um objeto de recordação, daqueles que você põe num lugar à parte pra olhar de vez em quando. E que eu irei mostrar para os meus filhos, contando de onde surgiram esses personagens incríveis e quem foi o grande artista por trás dessa “recriação”. Um trabalho que vale a pena ser visto, revisto, mostrado e compartilhado sempre.

Anúncios

De volta…


Eu já queria voltar a escrever. O blog já estava pedindo pela minha atenção. Alguns amigos já perguntavam por isso. E minha mãe disse que era uma boa… Então, cá estou eu, de volta!

O [estereo]tipo sempre passou por altos e baixos, mas essa foi a vez em que mais tempo deixei ele sem atualização. E me fez muita falta escrever por aqui. Nesses últimos dois anos, nada além de posts esporádicos e depois um longo tempo de inatividade no blog. Mas agora é hora de sacudir a poeira e colocar novamente os dedos pra trabalhar. Com a mesma premissa de sempre: falar sobre coisas do cotidiano, de cultura pop, de política, de esportes, do que é notícia, mas sempre com bastante opinião, dum ponto de vista cristão e, acima de tudo, sem deixar que os estereótipos tenham espaço.

hello

Ao longo dos próximos dias quero me reorganizar para voltar a escrever, separar assuntos bem legais e ver o feedback disso. Sintam-se, como sempre, à vontade para comentar, incentivar, criticar, argumentar e aproveitar esse espaço pra cultivar discussões saudáveis sobre tudo. Então preparem-se (eu estou me preparando) para o que vem por aí! Até logo!