Karate Kid

Daniel LaRusso contra o carinha da Academia Cobra Kai
Karate Kid

Não é essa a imagem que vem à sua cabeça quando você ouve falar em Karate Kid? Bom, não é exatamente essa que as próximas gerações terão! E nem aquela música cujo coro é “I am a man who will fight for your honor” (veja o vídeo logo abaixo)… O clássico dos anos 1980, de grande sucesso nos cinemas e várias reprises na Sessão da Tarde, acaba de ganhar uma refilmagem com direito a kung fu e Jack Chan no elenco. E não é que saiu melhor do que o combinado?

Pra você que nunca viu, Karate Kid (The Karate Kid, 1984) conta a história de Daniel LaRusso (Ralph Macchio), um jovem que se muda com sua mãe para uma cidade pequena, nos arredores de Los Angeles e ali conhece o Sr. Miyagi (Pet Morita), o zelador do prédio. Miyagi é um imigrante tailandês (de Okinawan – não, ele não é japonês) fascinado por bonsai e que tem uma história bem triste ligada ao seu passado. A relação entre os dois se estreita quando o sensei decide ensinar o jovem a lutar karate para disputar um torneio onde ele enfrentaria um grupo de estudantes de uma Academia que o estavam perseguindo.  O filme tem ainda Elisabeth Shue no elenco, como o interesse romantico do jovem.

O original arrecadou nos cinemas mais de 90 milhões de dólares e teve direito a duas continuações ainda com Macchio como protagonista e um quarto filme com Morita apenas, ensinando a jovem Hilary Swank (sim, é ela mesma a karateca de 1994). As continuações renderam outros milhões de dólares (cerca de 160 milhões ao todo), com o segundo filme sendo um dos mais bem recebidos pelo público.

Anos depois surge a ideia de colocar mais uma vez nas telas a história do garoto que aprende uma arte marcial para lidar com seus problemas e acaba sendo surpreendido com uma lição de moral e honra.

Cena do filme The Karate Kid, 2010
Jack Chan ensina Jaden Smith no novo Karate Kid

Já tem um tempo que fui ao cinema assistir ao filme, mas acabei escrevendo só agora, enquanto ouvia o velho single por acaso… E acabei relembrando de diversas cenas, frases e detalhes desse novo filme que, pra mim, apenas remete ao antigo Karate Kid, mas que traz uma emoção totalmente nova, deixa expectativas diferentes e que pode muito ser o começo de uma nova franquia.

Pra quem não curte spoliers, sugiro não continuar lendo…

Apensar da premissa de se tratar de um filme de luta, remake de um clássico dos anos 1990, o novo The Karate Kid se separa do estereótipo logo no começo, quando vemos que o conflito do jovem interpretado pelo excelente Jaden Smith vai além da mudança para a China. Sua relação com a mãe já era um tanto conturbada e é nesse detalhe que o garoto vai ser tratado em grande parte pelo zelador. A atuação do garoto me surpreende diversas vezes, e várias vezes por ele estar com tantos trejeitos do pai, Will Smith. Um amigo afirmou algo muito certo quando disse que estão tentando dar a ele a mesma pinta de garanhão que o pai tem. Mas nesse caso, veio bem a calhar, uma vez que a personalidade do jovem Dre Parker é justamente a de um menino que se vê odiado por ser americano numa terra que valoriza tanto sua própria cultura.

O estereótipo do ator de pancadaria também cai por terra para Jack Chan. Com cenas que beiram ao sentimentalismo, Chan mostra que também é um bom ator para filmes com apelo emocional maior. E que também não depende só de lutas para estar bem na tela. Com as suas dicas e sarrafadas no melhor estilo Miyagi, Mr. Han rouba a cena algumas vezes e dá nova vida ao personagem que ficou marcado no filme original.

Karate Kid com Jack Chan e Jaden Smith
cartaz da nova versão de The Karate Kid

O enredo também surpreende! Quem viu a primeira versão de Karate Kid provavelmente foi ao cinema já sabendo de cor o roteiro, mas teve a excelente surpresa de ver caminhos diferentes serem trilhados para se chegar ao final. Claro que o final sim, é o mesmo, com a mesma ideia da luta final e etc. Mas a trilha chinesa (trocadilho aqui) seguida para se chegar lá foi bem legal. Mérito dos roteiristas que souberam aproveitar não só o visual chinês, mas também a cultura local para preencher a história!

Para quem viveu aquele saudosismo ao ver o filme, ou para quem não conhecia a história por trás do Karate Kid, o filme vale o mesmo tanto! Seja pelas cenas de luta, pela boa história que continua funcionando bem, ou pelas atuações. Com um orçamento considerado baixo para os padrões hollywoodanos, de pouco mais de 40 milhões de dólares, o filme já abriu faturando alto e tem a marca de mais de 350 milhões arrecadados até agora, a 9ª melhor arrecadação do ano.

Com a boa arrecadação, e sabendo do sucesso dos anteriores, é bem provável que a nova versão de The Karate Kid ganhe continuações. E não necessariamente mantendo o enredo das sequências existentes. Tomara!

Fontes dos dados: IMDB e Box Office Mojo

Uma opinião sobre “Karate Kid”

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s