Corruptos somos nós

redação sugerida pelo tema do ENEM 2009 (“O indivíduo frente a ética nacional“).

Mala de dinheiroCerta vez ouvi um professor dizer que ‘o ser humano reclama da corrupção da qual não participa’. Engraçado pensar que todos os dias atiramos pedras contra nossos políticos, empresários de sucesso, os líderes da nação, sempre julgando e os culpando por toda corrupção do nosso país. Nos esquecemos que os culpados por tudo isso somos nós. Que esses líderes saíram do meio de nós. Que somos nós que crescemos tentando enganar os professores, colando na escola e levando o crédito por algo que alguém fez. Que somos nós que, no trabalho, vivemos tentando passar a perna em um companheiro para ganhar a promoção, o salário melhor. Que somos nós que sonegamos impostos, que compramos CDs piratas, que dizemos que a mercadoria foi mais barata na nota fiscal. Que somos nós que ensinamos nossos filhos a serem ‘espertos’. Somos nós.

Agora me diga: quantas vezes não sonhamos com aquele cargo, aquele trabalho sossegado que todo funcionário público tem (ou que pensamos ter) em que se trabalha pouco e ganha muito bem? Quantos de nós não faríamos de tudo por uma vaga num disputado concurso público? Nunca se ouviu falar tanto quanto nos dias de hoje sobre esses tais concursos. É nossa ‘humanidade’ falando mais alto. Sim, humanidade. Ou você pensa que isso é coisa só de brasileiro? Corrupção não é exclusividade nossa. Desde os tempos egípcios, babilônicos, gregos, romanos, sempre ouve corrupção. Ou você nunca ouviu que “há algo de podre no Reino da Dinamarca?“. Até Shakespeare sabia…

Mas como mudar esse quadro? Tem solução? Às vezes pensamos que não. Que o mundo é do jeito que é e que nada fará diferença. E nossa consciência cidadã, nossa moralidade, ficam aí, dilaceradas pelo que vemos na mídia todos os dias. Nosso povo continua a valorizar aquilo que é errado, que é imoral. Se nossos ídolos continuarem a ser ‘brothers‘ de vida fácil, qual será o caráter das futuras gerações?

O que devemos fazer é criar em nossa sociedade uma cultura nova, uma nova consciência que mostre que não é sem trabalho duro que se conquista o sucesso, mas com suor, com esforço. Que o que devemos almejar para nós é uma vida de dedicação, de honestidade. De que conceitos e valores de ética são passados dentro de casa, nas escolas e em todo lugar. Até mesmo nossa mídia tem que mudar.

Pode parecer que estamos nadando contra a maré. Que é uma utopia pensar assim, mas temos provas de que o ser humano pode ser justo, honesto, íntegro. Quantas histórias não conhecemos de homens e mulheres assim? De gente que cresceu em meio à pobreza e fez seu próprio caminho. De gente que não se deixou envolver pela sujeirada do congresso, do senado, do poder, da fama, dos holofotes cegadores do sucesso. Ou só vemos aqueles que se sujaram? Que participaram dos trambiques, do desvio de verba, do roubo digital, do imposto sonegado? Às vezes parece que só nos lembramos destes. E que nos impressionamos tanto com a sagacidade deles que, primeiro, os acusamos e queremos apedrejar. Logo depois nos perguntamos o que faríamos se estivéssemos em seus lugares. E não se espante se a resposta em sua mente for “a mesma coisa”!

Nossas escolas, nossa educação, nossa mídia (seja impressa, na TV ou na Internet), nossa sociedade como um todo, devem entender que, como pais, amigos, criadores do senso de moral que ficará para a próxima geração, precisamos mudar. Que a ética, a moral do nosso país depende do que ensinamos, do que vivemos. Ensinar honestidade é mais do que falar sobre ela, é agir e demonstrar em todas as coisas. Mesmo diante de toda a onda de corrupção que nos rodeia. É valorizar aqueles que conseguem andar na direção oposta da tempestade de areia e ser exemplos de gente que faz diferença no nosso país. Os responsáveis por essa mudança? Somos nós.

“A corrupção vem com a riqueza”.
Honoré de Balzac

“A corrupção na democracia começa no fato de uma classe fixar os impostos e outra pagar”.
W. E. Inge

“O mais escandaloso nos escândalos é que nos habituamos a eles”.
Simone de Beauvoir

“Todos somos corruptos. Ninguém pode atirar a primeira pedra”.
Mário Amato

4 opiniões sobre “Corruptos somos nós”

  1. Grande Arderson, o Butilheiro! Gostei demais do seu texto. Aliás, admiro toda e qualquer indignação contra o conformismo com este mundo. É bom lembrar que são as simples Palavras de Cristo que, para aqueles que insistem em não incorporá-la ao seu dia a dia, se tornam como Física Quântica para portadores de diplomas de 4ª série. Isso tudo me faz lembrar da música do “rei” Roberto: “Tanta gente se esqueceu, que a Verdade não mudou…” É companheiro, a Verdade não mudou e nem mudará. O que era certo não era, é. Continue combatendo os Esteriótipos. Estamos juntos nessa. Abração meu amigo!

  2. Oi, Andyzinho!
    Aqui estou para dizer que vc atendeu aos critérios esperados, haha!
    O seu repertório é muito bom e se vc se esforçar pra ler ainda mais, vc vai ver o quanto a sua escrita vai evoluir. Parabéns!
    Bjoks

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s