Escolhas (atualizado)


>> Ao som de Julian Drive – My Coming Day (álbum)

Escolhas! A vida é feita de escolhas (muito clichê isso, mas vá lá… Hoje eu tô inspirado). Há aquelas que fazemos e as que fazem por nós. Mas de uma forma ou de outra, são as escolhas que nos levam a algum lugar.

Quando nascemos nossos pais escolhem nos criar de determinada forma, ou escolhem não criar. Alguns passam essa responsabilidade à outra pessoa. Alguns fingem estar fazendo, mas na verdade na estão. Alguns escolhem demais. Alguns escolhem colocar os filhos nas melhores escolas, dar a melhor educação, encher os garotos de atividades, dar todos os brinquedos… Mas se esquecem de escolher dar à criança algum ainda mais fundamental: caráter. Alguns se vão e não tem oportunidade de fazer escolha alguma.

À medida que crescemos somos bombardeados com as mais diversas escolhas. Sentar do lado dos bagunceiros da sala ou não. Copiar a matéria do quadro ou não. Matar aula para jogar bola ou não. Em casa também continuamos a escolher. Contar a verdade sobre o dever de casa? Assistir todos os desenhos da TV? Tomar banho quando a mãe manda? As consequências dessas escolhas podem levar a severos castigos… Ou não.

Alguns amigos podem escolher nos levar para o mau caminho, nos apresentar o mundo das drogas, da bebida, da pornografia, dos jogos e de demais vícios. Mas somos nós quem escolhemos seguir ou não por esse caminho. As escolhas feitas lá trás, por nossos pais, influenciam exatamente aqui. Caráter.

Escolhas: Nem sempre é fácil fazê-las
Escolhas: Nem sempre é fácil fazê-las

Não escolhemos de quem vamos gostar, mas podemos escolher que atitudes tomar quanto a isso. Escolhemos os amigos, os mais próximos e os mais distantes. Escolhemos quais amizades cultivar, quais queremos guardar pra sempre. Escolhemos com qual colega vamos fazer a prova de dupla, com qual ficamos de papo nos intervalos e com quais matamos aula. Escolhemos pra onde correr quando somos pegos.

Escolhemos, mesmo que por influência de alguém, que religião seguir. Se cremos em alguma coisa, se damos valor a dados científicos, se seremos céticos, ateus, convictos ou se estaremos a par de tudo sem nos evolvermos com nada. Escolhemos se lemos Galileu e Super Interessante ou Contigo e Amiga. Escolhemos entre The Matrix e Titanic. Às vezes escolhemos os dois. Às vezes nenhum.

Quando as pessoas se afastam podemos escolher saber o porquê. Ou podemos virar as costas e seguir nosso caminho como se não nos importássemos. Escolhemos ficar mais próximos da nossa família e dos amigos ou do trabalho e de nossas ambições. Escolhemos estudar, fazer mestrado, doutorado, MBA. Escolhemos viajar, gastar todo o dinheiro do Seguro Desemprego, construir uma casa. Escolhemos entre casar e comprar uma bicicleta.

Escolhemos ouvir rock ‘n roll. Escolhemos ir à uma ‘rave’. Escolhemos dançar forró, funk, axé ou sertanejo. Ou escolhemos ficar em casa comendo pipoca em frente à TV assistindo um filme comprado no camelô da esquina do trabalho. Escolhemos baixar o filme, ou a música, ou o jogo pela Internet. Escolhemos fingir que não fazemos isso. Escolhemos conversar só pelo MSN, nunca pessoalmente. Escolhemos nos declarar pelo e-mail e mandar flores virtuais.

A vida adulta parece dificultar ainda mais essas escolhas. Escolher o carro que cabe no orçamento. Escolher em que bairro construir nosso futuro lar. Escolher entre o emprego certo com salário baixo, mas estável. Ou o emprego dos sonhos numa empresa que pode pedir falência a qualquer segundo. Escolher entre apagar o fogo ou deixar arder. Escolher entre a rotina ou ao trabalho em casa. O freelancer ou o assalariado.

Algumas escolhas acontecem naturalmente. O time de futebol para qual torcemos. A roupa que usamos no casamento do melhor amigo. Como dar o primeiro beijo. Como dar o último beijo. Escolhemos dar ou não um último adeus. Escolhemos até quem merece o último adeus.

Ficar acordado até 2h da manhã para ver o cometa? Até 3h para ver a corrida? Até às 5h para o jogo que é no Japão? Até altas horas batendo papo com um amigo que está há quilômetros de distância e que você só encontra de vez em quando na Internet? Escolhemos dormir ou virar a noite olhando as estrelas e contando cada uma. Às vezes sozinho, às vezes ao lado da pessoa amada. Você escolhe.

Escolhemos anotar cada escolha num caderninho que chamamos de “querido”, mas que se cair nas mãos da pessoa errada vira “maldito”. Escolhemos contar aos amigos nossos segredos. Algumas vezes para depois nos arrependermos de ter confiado na pessoa. Devíamos ter escolhido melhor os amigos.

Horas no telefone que custaram caro. Cartas que mandamos e nunca são respondidas. Aquele dinheiro emprestado que nunca mais se viu a cor. Aquele dinheiro no banco que rendeu o suficiente pra comprar uma bala. Ou aquele dinheiro investido na hora certa que rendeu uma grana após a venda do lote no bairro que valorizou com a chegada da multinacional. Escolhas que fazemos a todo dia que às vezes parecem insignificantes, mas podem ser surpreendentes um dia.

Escolhemos ter filhos, ficar pra titio ou adotar uma criança. De qualquer forma teremos crianças em nossas vidas. Ou escolhemos ser adultos rabugentos que odeiam crianças. Alguns escolhem ser assim e ainda conseguem ter milhares de crianças à sua volta. Coisas da vida. Escolhemos se é a hora certa pra ter filhos. Às vezes os filhos vêm por acaso. Então escolhemos assumir ou não. Cuidar ou não. Nos responsabilizar ou não. E então assumimos o papel de nossos pais e o ciclo começa outra vez.

Mas a vida continua. Escolhemos o quanto segurar nossos filhos. Escolhemos soltá-los pro mundo. Escolhemos vê-los crescer por si só. Ou escolhemos ser pais corujas e ligar a cada segundo pro celular do amigo que o filho deixou anotado na geladeira pro caso de alguma emergência. Decidimos o que é ou não emergência.

As escolhas não acabam. Onde passar as férias em família? Quantas malas levar? Quanto gastar? Da pra adiar pro ano que vem a viajem pra Buenos Aires? Dá pra pedir mais crédito no cartão? E se o time for pra Final da Libertadores, dá pra dar uma fugidinha do trabalho pra ir pro estádio torcer?

O que vou deixar pra minha família? É hora de escolher um plano de saúdo, um seguro de vida, um pé de meia qualquer. Pedir aumento? Trocar de emprego? Mudar pra uma casa mais afastada do centro? Trocar as crianças de escola? Cortar gastos, custos? Ou fazer novos investimentos? Reformar o banheiro ou a cozinha primeiro? Quer cor colocar no quarto do 3º filho? É hora de colocar em prática aquele projeto de anos? Largar tudo e abrir meu próprio negócio?

Ter um cachorro às vezes é uma escolha. Às vezes ele aparece e você simplesmente fica com ele. O quanto ele entra e muda sua família já é uma coisa que você não tem controle. As crianças podem ter alergia. Você pode se mudar para um apartamento. Sua esposa pode ser cansar de limpar o xixi. Uma hora você tem que escolher continuar com o cachorro ou com a vida normal que você tinha antes. Se escolher o cachorro, boa sorte. Eu faria o mesmo!

Que direção seguir? Que conselhos dar? E quando aquele cara aparecer pra tomar seu lugar no coração da sua filha? E quando seu filho quiser pegar seu carro pra dar uma volta? E se ele bater? E quando seu garoto crescer e for pra faculdade? E quando sua esposa quiser fazer uma plástica? Será que eu vou ter aquela vida dos filmes americanos de famílias perfeitas? “Ah! Essas escolhas…”

As escolhas nos cercam. Em quem votar? Que canal assistir? Escrever sobre tudo isso ou não? É hora de voltar a estudar, mesmo depois de velho? É hora de trocar de celular? Ou de TV? Um peixinho seria melhor que um cachorro? É hora de ir ao dentista? Precisa mesmo? E tomar aquela vacina que está atrasada dois anos? Terminar o namoro que não está dando certo? Virar a mesa e mudar totalmente a vida? Mudar de ares? Ceder à pressão das coisas, dos amigos, dos parentes? O caminho às vezes é difícil, mas se não trilharmos, como saber o que há no final? Eu quero mesmo saber? Eu quero chegar a algum lugar? Eu posso escolher!

Pra finalizar, confira um desses videozinhos motivacionais que encontrei no YouTube esses dias:

Livremente inspirado na música One Day Too Late, do Skillet.

Anúncios

Quem sou eu?


Quantas vezes a gente se depara com essa pergunta? Quantas vezes você já se fez essa pergunta? Hoje ela tem se tornado comum em grande parte dos sites de relacionamentos que temos nessa imensidão virtual. Às vezes camufladas com uma variação como “sobre mim” ou “diga-nos mais sobre você”! Mas sempre é a mesma pegunta! No fim das contas o que se quer é que você fale de você mesmo, se identifique através de palavras que o definam! Isso é um desafio e tanto! Admiro quem consiga chegar a esse objetivo.

Eu mesmo tentei inúmeras vezes. Sempre tentava ser criativo e dizer algo legal, engraçado, mas nunca era de fato uma descrição sobre mim. Até algum tempo atrás quando resolvi, no orkut, capturar os nomes de algumas comunidades das quais participava e, juntando outras frases legais, fiz uma lista que eu achava ser uma descrição perfeita de mim. Claro que, aos meus olhos, a lista era perfeita, mas aos olhos de muitos poderia parecer boba, estranha ou mesmo não ter nada a ver comigo.

De fato, a lista não é lá uma descrição, mas tem detalhes que remetem à minha personalidade, a coisas de que eu gosto, coisas que me lembram minha infância, bons momentos e várias outras coisas importantes pra mim! Não consigo imaginar hoje outra forma de me traduzir em palavras. Por isso hoje trago a vocês, caros amigos do [estero]tipo, essa lista. Revista, atualizada e corrigida! Enjoy yourself:

Sou branquelo
Sou daltônico
Daltônico, não cego
Sou quase transparente
Eu nasci no dia do meu níver
Já desci escada pelo corrimão
Chego em casa e vou direto pro PC
Eu tocava a campainha e saia correndo
Nunca sei o que dar de presente
Faço piadinhas toscas

Sou chato
Sou geek
Sou bobo
Sou alam

Eu acredito e confio em DEUS
Não sigo religião, sigo a Cristo
Sou cristão, apesar do cristianismo
Prefiro subir quadrado do que descer redondo
Sou filho de pastor, e daí?
Sou Presbiteriano
Eu fui da UPA

Eu odeio fila
Eu penso no futuro
Eu planejo as coisas
Eu faço amizades fácil
Tenho ideias loucas, às vezes
Eu viajo em meus pensamentos
Eu faço trocadilhos infames com frequencia
Eu lembro de quando era criança
Tenho saudades de quando era criança
Tenho saudades de amigos que deixei pra trás
Tenho saudades de alguns dos bons momentos da minha vida
Meu cabelo me odeia

Eu aperto todos os botões do controle
Eu jogava SNES
Eu joguei Pac-Man no ATARI
Eu joguei River Raid no ATARI
Eu joguei Enduro no ATARI
Eu ainda acho Top Gear o melhor jogo de todos os tempos

Eu nunca corri de um dinossauro
Às vezes fico rindo na frente do PC
Quando sinto algo forte, não consigo disfarçar
Nunca duvide do que sou capaz
Não se preocupe em me entender
Tem dias que nem eu me entendo

Sou mineiro
Eu nasci em Araxá
Eu nasci em 10 de Junho
Eu vivo em Divinópolis
Eu já morei em Juiz de Fora
Eu já morei em Uberlândia
Eu já morei em Piumhi
Eu já morei em Manhuaçú
Eu já morei em Lavras
Eu já morei em várias outras cidades

Alguns bons momentos merecem replay
Alguns bons momentos não devem ter replay
Beijo apaixonado é o melhor
Beijo longo com mordida no final é melhor ainda
Mulher não se pega, conquista
Se fosse fácil não teria graça
O Amor não é feito só

Eu estudei no Gammon
Eu estudei no CEFET
Eu estudei no Pitágoras
Estudo no INED

Eu não sou CDF, você que é burro
Já fui mandado para fora de sala
O fundão também se forma
Eu sentava no fundão

Sou cavalheiro
Sou legal, não tô te dando mole
Mamãe não me passou no açúcar
Sou um cara legal
Sou pra casar

Sou complexo, não complicado
Eu sou diferente e sei disso
Eu sou mais eu

Eu amo meu pai
Eu amo minha mãe
Eu amo meu irmão/irmã
Amo e defendo minha família

Amo tempo frio
Sou fã de dias frios, chuvosos e nublados
Prefiro montanha e frio do que praia e sol
Sou daqueles que adoram olhares
As minhas atitudes falam mais que minhas palavras
Mas um olhar diz mais que milhares de palavras

Curto futebol
Sou Cruzeirense
As cruzeirenses são as mais gatas
Tríplice Coroa? Só a gente tem!
Meu filho será Cruzeirense

Amo fotografia
Prefiro fotografia em preto e branco (B&W)
Melhor ainda em Sépia
Photoshop? Não, Fireworks!
CorelDRAW? Com certeza!
Sou professor de informática
Sou designer gráfico
Ou desktop designer
E web designer

Eu sempre tenho um Dicionário por perto
Amo As Crônicas de Nárnia
Ainda não li toda a série de Deixados para trás
Eu leio INFO
Leio Carta Capital, às vezes
Curto a Super Interessante

Eu não vivo sem música
Escuto música o dia todo
Escuto a mesma música várias vezes
Se não tem música, eu faço
Curto Rock Alternativo
Air Guitar? Uhum…
Toco violão
Aprendi a tocar num DiGiorgio
Quando fico triste, toco violão
Acredito no Universo Paralelo das Paletas
Por falar nisso, você viu minha paleta?
Já tive um Kashima
Meu violão é um Crafter
Amo meu violão
Eu toco bateria
Eu toco bateria imaginária

Curto uns seriados como: LOST, Heroes, Smallville, The Big Bang Theory, Prison Break, House MD, Sienfield, Lie To Me, Fringe e outros
Sou Power Ranger, mas é segredo
Eu via Changemman
Eu era o Change Pegasus
Eu via Flashmman
Eu via Jaspion
Eu via Jiban
Eu via Jiraia

Eu vi Matrix
Eu vi Matrix várias vezes
Eu tentei entortar a colher
Eu dicuto sobre Matrix com todo mundo
Eu queria ir De volta para o Futuro
Eu queria ter um Delorian
McFly era o cara
O Senhor dos Anéis é o filme
Me chamavam de Smeagle na escola
Curto a série Spider-man
E também X-Men
E todos os outros filmes de heróis/HQ e etc.
Star Wars? Não sei o que é não, mas deixa eu ir ali meditar com o Mestre Yoda, pegar meu sabre de luz e usar minha Força com os jovens padawans (^^)

Eu amo pão de queijo
Eu amo macarronada
Eu amo lasanha
Eu amo chocolate
Eu amo comida italiana
Eu não sei cozinhar

100 coisas que me dão água na boca… ou que simplesmente gosto de saborear!


Esse é mais um daquela série ‘memes’ que a gente vê por aí… Só que dessa vez eu não copiei de lugar nenhum! Decidi eu mesmo criar essa aqui e relatar algumas coisas que eu amo comer! Se você já viu esse por aí, me diga onde pra eu ler também! Mas vamos ao que interessa:

  1. Batata frita
  2. Filé de frango
  3. Batata frita com filé de frango à palito
  4. Tropeiro, mas não gosto tanto assim de feijão
  5. Repolho… De todas as folhas, é a única de que eu realmente gosto
  6. Sorvete… Muito sorvete! Acho que a comida que mais me dá vontade de comer. Se pudesse, viveria de sorvete…
  7. Coca-Cola
  8. Coca-Cola com limão e gelo
  9. Suco de uva
  10. Suco de laranja
  11. Suco de limão
  12. Suco de cajú
  13. Eu já disse sorvete?
  14. Lasanha (bolonhesa, molho branco, quatro queijos, tanto faz)
  15. Pizza
  16. Rondelli
  17. Macarronada
  18. Macarrão ao alho e óleo
  19. Basicamente qualquer tipo de massa que não leve nada verde
  20. Pipoca (com um filmezinho então, nem se fala)
  21. Chips (Fandangos é meu predileto)
  22. Espetinho de frango
  23. Churrasco de frango
  24. Asinha de frango frita ou assada
  25. Churrasco de boi bem passado… E com uma gordurinha
  26. Batata assada
  27. Batata recheada
  28. X-Frango
  29. X-Bacon
  30. X-Tudo, dependendo do lugar
  31. Misto-Quente, dependendo do dia
  32. Pão com salame, dependendo da fome
  33. Omelete, com tudo o que tiver direito
  34. Arroz com feijão da mamãe
  35. Arroz com feijão da minha irmã (também é bom)
  36. Bife da mamãe
  37. De vez em quando o da minha irmã também…
  38. Mandioca frita
  39. Mandioca cozida, do jeito certo
  40. Milho cozido
  41. Purê de batata
  42. Algum prato qualquer feito usando purê de batata
  43. Biscoito recheado de chocolate
  44. Waffle de chocolate
  45. Biscoito champagne
  46. Pavê de chocolate com biscoito champagne
  47. Pavê de chocolate com qualquer coisa
  48. Bolo de chocolate
  49. Bolo de chocolate com cobertura de chocolate
  50. Sorvete de chocolate com cobertura de chocolate (tô me achando meio chocólatra)
  51. Mousse de chocolate
  52. Bolo de côco gelado
  53. Bolo de aniversário sem coisas estranhas (tipo abacaxi, banana, ameixa e outras coisas esquisitas que não combinam com bolos)
  54. Pavê com biscoito de amizena
  55. Palla Italiana (biscoito de maizena com brigadeiro)
  56. Brigadeiro (é, tô muito chocólatra)
  57. Cajuzinho
  58. Doce de leite-ninho
  59. Doce de leite
  60. Doce de leite com côco
  61. Doce de leite pastoso
  62. Doce de leite com… chocolate
  63. Bombom de chocolate (de preferência só de chocolate, ou no máximo com castanhas)
  64. Bombom de chocolate com côco
  65. Trufas de chocolate (ou seja, quer me agradar, me dá uma coisa qualquer com chocolate)
  66. Doces em geral
  67. Gelatina
  68. Pavê com gelatina
  69. Gelatina rosa
  70. Petit Gateau
  71. Bolo com sorvete (aprendi esse nos meus tempos de Lavras)
  72. Panetone com frutas cristalizadas (sem ameixas ou uvas passa)
  73. Panetone com pedaços de chocolate
  74. Banana
  75. Uva
  76. Maçã
  77. Mamão
  78. Melância
  79. Abacate
  80. Laranja
  81. Tangerina (mexerica ou qualquer outro nome que você dê na sua região)
  82. Sala de frutas (de preferência com as frutas acima)
  83. Carambola
  84. Vitamina com frutas (sem misturar demais)
  85. Batida de leite com mamão…
  86. … ou com abacate
  87. Leite com chocolate… Muito chocolate
  88. Arroz doce
  89. Doce de Figo (ou Figo em calda)
  90. Doce de amendoim
  91. Pé-de-moleque
  92. Amendoim puro e cru (amava pegar um saco disso quando era moleque e sair comendo pela casa; também colocava ele na água às vezes, deixava ele inchar e saia comendo do mesmo jeito – aprendi essa com meus pais)
  93. Amendoim torrado
  94. Beijo quente (aquele amendoim torrado e com açúcar e chocolate que aparece em Junho e Julho)
  95. Rocambole doce de chocolate ou doce de leite
  96. Sonho (doce de leite, não aqueles com creme amarelo)
  97. Coxinha com catupiri
  98. Esfirra de frango
  99. Empada de frango
  100. Enroladinho de presunto e queijo

Bom, é basiacmente isso. Te sim mais algumas coisas que me chamam a atenção às vezes, mas essas aí são as que consegui lembrar e que, com toda certeza, me dão água na boca ou que eu gosto realmente e sinto falta de comer, às vezes.

“No Dia Em Que Fazia Anos”, Gregório de Matos


“Pois os prados, as aves, as flores
ensinam amores,
carinhos, e afetos:
venham correndo
aos anos felizes,
que hoje festejo:
Porque aplausos de amor, e fortuna
celebrem atentos
as aves cantoras
as flores fragrantes
e os prados amenos.

Pois os dias, as horas, os anos
alegres, e ufanos
dilatam as eras;
Venham depressa
aos anos felizes,
que Amor festeja.
Porque aplausos de amor, e fortuna
celebrem deveras
os anos fecundos,
os dias alegres,
as horas serenas.

Pois o Céu, os Planetas, e Estrelas
com Luzes tão belas
auspiciam as vidas,
venham luzidas
aos anos felizes
que Amor publica.
Porque aplausos de amor, e fortuna
celebrem um dia
a esfera imóvel,
os astros errantes,
e as estrelas fixas.

Pois o fogo, água, terra, e os ventos
são quatro elementos,
que alentam a idade,
venham achar-se
aos anos felizes
que hoje se aplaudem.
Porque aplausos de amor, e fortuna
celebrem constantes
a terra florida,
o fogo abrasado,
o mar furioso,
e as auras suaves.”

Há uma pessoa em especial que faz aniversário hoje. É bem provável que ela jamais visite esse blog, mas, se por um milagre ela aparecer,  só pra ficar registrado: te desejo toda a felicidade do mundo! Mas desejo mais ainda que a felicidade do mundo não seja a felicidade que você busca, que sua busca seja outra… Você sabe do que estou falando!

Parabéns!

O efeito de uma foto…


Sabe quando você quer escrever só pra desabafar? Tô assim hoje! E tem um motivo muito, muito forte pra isso ser assim logo hoje,… Logo hoje!!

Quando dizem que uma imagem vale mais do que mil palavras, com toda certeza se tem em mente o efeito que uma fotografia pode ter sobre a mente do ser humano. Ela é capaz de despertar as mais diferentes sensações em nosso cérebro, em nossos sentidos.

Uma foto pode nos fazer ter água na boca. Pode nos faz sentir o cheiro de algo que apenas vemos e nos fazer misturar sentidos, mesmo que ilógicamente.

Pode nos remeter ao passado, à boas sensações de outros tempos, de outros “carnavais”. E pode nos lembrar de pessoas que esquecemos com o tempo.

Pode nos levar de volta à infância, às brincadeiras de rua, no parque ou mesmo na escola.

Pode nos despertar sentimentos que há muito não sentíamos. Saudades, vontade de estar perto… Nostalgia…

Mas pode nos fazer sentir nojo, desprezo. Nos lembrar de o quão sujo e pobre é o homem. Das atrocidades que somos capazes de cometer e viver. Das partes obscuras do nosso passado, do passado da humanidade.

Nos fazer relembrar das coisas que devemos e quqremos mudar em nós mesmos, na nossa história, na vida das pessoas queridas pra nós.

Uma imagem pode nos remeter a momentos de glória, de vitórias, ao sentimento de equipe, de grupo. De um time, de uma empresa, de um grupo de amigos…

Sensações que nos lembrem de piquiniques, passeios, de andar de bicicleta. Que nos lembrem de nossos pais, nossos tios, nossos avós, nossos irmãos… Da importância da nossa família…

Fotos nos lembram de amigos… De momentos vividos, de festas que participamos, de festas que não fomos… Daquele churrasco, daquela excursão…

Nos lembram de gostos que não conseguimos esquecer, bons ou ruins. O gosto amargo de uma derrota, de uma fruta azeda ou de um machucado que marcou…

Principalmente daqueles que machucaram a alma…

Algumas vezes as imagens nos remetem a coisas que não queríamos. A desejos antigos, sonhos frustrados e coisas que não queremos lembrar, mas lembramos porque faz parte da nossa vida.

Momentos, situações, pessoas… Há muito que gostaríamos de esquecer, mas nem sempre esquecemos… Às vezes porque não conseguimos, às vezes porque a vida não deixa…

Quando falam mais do que mil palavras, as imagens dizem muito mais do que o que elas mesmas são.  Tudo o que sentimos, pensamos e entendemos de uma foto envolve toda nossa história…

Uma imagem que vale mais do que mil palavras pode também valer por mais do que mil sentimentos.  Mil sensações… Representar mil momentos… Ou não!

Hoje tenho motivos de sobra pra falar sobre esse assunto. Nas últimas semanas algumas imagens tem feito parte intensamente da minha vida. Algumas tem me animado, outras me jogado pra baixo. Algumas me lembram coisas que quero ter na mente sempre, outras insitem em me lembrar coisas que quero esquecer.

Mas quando uma em particular apareceu, significou muito mais do que qualquer coisa que poderia ter lido, ouvido ou visto em qualquer outro lugar!!!

Uma foto pode ter um efeito devastador… Ou animador. Ou as duas coisas ao mesmo tempo!! Tudo depende de quem vê, de quando vê, de como vê… E do que se passa em sua cabeça quando todas essas coisas acontecem!

E hoje, justo hoje, todas essas coisas juntas fizeram uma imagem significar muito mais do que ela deveria significar. E despertar milhares de sentimentos que já eram pra estar enterrados!

Um efeito que nem eu mesmo sei explicar… Mas fez efeito… E eu nem mesmo sei se foi ou não bom!