Entendendo relacionamentos – Parte I


Acho muito engraçado como a gente se envolve com as pessoas. Nossos relacionamentos diários são muito interessantes. Começo a pensar que eu daria um bom psicólogo ou coisa do gênero (mas nunca faria o curso poque odeio Biologia). Os ‘vai-e-vens’ das nossas amizades e  namoros, as intrigas familiares, as discussões, as dificuldades de relacionamento no trabalho, a relação patrão-funcionário… É tudo tão complexo, mas ao mesmo tempo tão simples!

Tenho pensado muito em todas essas coisas esses dias. Claro que eu não era muito disso. Sempre fui muito mais de me preocupar com assuntos sociais, políticos… Esportivos… Minha veia jornalísticas, se é que ela realmente existe, sempre foi bem atenta à essas coisas mais globais, menos intimsitas. Mas isso tem mudado muito de uns tempos pra cá.

Divã: a arma dos psicólogos pra te arrancar seus segredos
Divã: a arma dos psicólogos pra te arrancar seus segredos

Engraçado que durante muitos anos da minha adolescência eu fui um bom ouvinte. Muitos dos meus amigos vinham até mim pra contar problemas, falar de coisas que os pertubavam… Muitas e muitas vezes era sobre gostar de alguém ou não. Cansei de ouvir coisas assim. E eu mesmo falava pouco. Melhor, falava com uma só pessoa. Sempre tive um amigo mais próximo que era o cara que me ouvia. O resto, só sabia o essêncial sobre mim. Ainda sou assim, eu acho… Mas perdi aquela coisa de ser um bom ouvinte. Acho que meus problemas me tomaram tanto que eu não aguentava mais ouvir os dos outros. Ou, quando ouvia, nem prestava tanta atenção. Mas nunca deixaram de me procurar.

Um bom amigo é aquele que ouve?  É aquele que te tira da fossa? É aquele que nem te ouve, nem te tira da fossa, mas tá lá do seu lado? Sinceramente eu não sei a resposta! E acho que ninguém sabe de verdade. Tem momentos pra você agir de uma forma e momentos pra agir de outra. E tenho percebido isso nos meus próprios relacionamentos. Os amigos que estiveram do meu lado recentemente, quando terminei meu namoro, os que me deram força pra voltar à estudar, os que tem estado ao meu lado já há um bom tempo… É realmente interessante analisar essas coisas e ver que vivemos cercado por pessoas com seus problemas e que, mesmo assim, estão sempre dispostas a ajudar os outros. Até mesmo meu chefe me deu uma mão esses dias. Minha família então, nem se fala. Acho que minha maior força tem vindo dali, mesmo estando longe deles quase o tempo todo.

Eu comecei a entender melhor os relacionamentos quando parei pra analisar isso tudo. Quando eu disse que era compelxo, não estava mentindo. O motivo de tudo acontecer realmente é inexplicável. O ‘por quê’ de sermos amigos de uns e não de outros, de gostarmos de tal pessoa e não da outra… Isso é complexo demais. Mas tem uma parte simples: algumas pessoas se importam com você e outras não. Acho que o grande segredo para se entender os relacionamentos é descobrir quem se importa com você de verdade. Essas pessoas são os relacionamentos que importam na sua vida!

Anúncios