Que livro seria você?

Certamente você já deve ter ouvido aquela frase “minha vida é um livro aberto” de algum amigo, não? Ou até mesmo você já deve ter dito isso. Ou aquela outra, “não se julga um livro pela capa”! Todo mundo já disse ou ouviu essas frase que nos relacionam com livros pelo menos uma vez na vida. E eu, como um cara absolutamente ligado ao que é escrito, muito mais do que ao que é falado (apesar de que o cantado é mais minha praia), já usei as expressões várias vezes.

Mas se você pode ser um livro aberto ou se não podem te  julgar por sua capa, que livro seria você? Se você já se fez essa pergunta, como eu, ta aí o jeito de descobrir a resposta.

O site Educar para Crescer, da Editora Abril, resolveu criar um teste onde, através de dez perguntas, você é comparado a um livro da literatura nacional. O teste é simples e pode ser encontrado nesse link:

O meu teste:

Eu jamais esperaria isso, mas, de acordo com o teste, minhas páginas são como as de Machado de Assis em Memórias Póstumas de Brás Cubas!! Pois é… E não é tudo. Olha só o que eles dizem sobre o livro:

Memórias Póstumas de Brás Cubas, clássico de Machado de Assis
Memórias Póstumas de Brás Cubas, clássico de Machado de Assis

“Ok, você não é exatamente uma pessoa fácil e otimista, mas muita gente te adora. É possível, aliás, que você marque a história de sua família, de seu bairro… Quem sabe até de sua cidade? Afinal, você consegue ser inteligente e perspicaz, mas nem por isso virar as costas para a popularidade – um talento raro. Claro que esse cinismo ácido que você teima em destilar afasta alguns, e os mais jovens nem sempre conseguem entendê-lo. Mas nada que seu carisma natural e dinamismo não compensem.
Memórias Póstumas de Brás Cubas (1881) é considerado o divisor de águas entre os movimentos Romântico e Realista. Uma das expressões da genialidade de Machado de Assis (e de sua refinada ironia), há décadas tem sido leitura obrigatória na maior parte das escolas e costuma agradar aos alunos adolescentes. Já inspirou filme e peças de teatro. É, portanto, um caso de clássico capaz de conquistar leitores variados. Proezas de Machado.”

E o pior de tudo é que o teste faz muito sentido. Nunca fiz um desses testes que desse um resultado tão certo! Sem dúvida se eu fosse um livro, seria Memórias Póstumas! E você, qual livro seria? Comente…

Anúncios

Uma opinião sobre “Que livro seria você?”

  1. Bom, esse teste foi bem interessante pra mim…O meu primeiro resultado eu não curti muito, foi o seguinte:
    “Você é… “Carmen – Uma biografia”, de Ruy Castro

    Boa história é com você mesmo. Adora ouvir, contar, recontar. As de pessoas interessantes e revolucionárias são as suas preferidas. Tem gente que liga para você só para saber das últimas fofocas. E confesse: com seu jeitinho manso e detalhista, você dá aos fatos um sabor todo especial. Além disso, não se contenta em reproduzir o que já foi dito. Por isso, se fosse um livro, você só poderia ser uma boa biografia, daquelas que faz os leitores deitarem na rede do fim de semana e se entregarem às peripécias de uma grande personagem. Aliás, você já pensou na profissão de repórter? Ou de escritor?
    “Carmen – Uma Biografia” (2005), sobre Carmen Miranda, é uma das aclamadas biografias publicadas por Ruy Castro, também jornalista e tradutor, considerado um dos maiores biógrafos brasileiros.”

    Certo dia, com mais calma, resolvi fazer o teste novamente, só que agora, o resultado combinou mais comigo… ^^
    Segue:

    “”Antologia poética”, de Carlos Drummond de Andrade:
    “O primeiro amor passou / O segundo amor passou / O terceiro amor passou / Mas o coração continua”. Estes versos tocam você, pois você também observa a vida poeticamente. E não são só os sentimentos que te inspiram. Pequenas experiências do cotidiano – aquela moça que passa correndo com o buquê de flores, o vizinho que cantarola ao buscar o jornal na porta – emocionam você. Seu olhar é doce, mas também perspicaz.
    “Antologia poética” (1962), de Drummond, um dos nossos grandes poetas, também reúne essas qualidades. Seus poemas são singelos e sagazes ao mesmo tempo, provando que não é preciso ser duro para entender as sutilezas do cotidiano.”

    Definitivamente, me identifiquei mais com o segundo ^^

    O seu, Andy, caiu como uma luva!
    Depois te recomendo mais testes dessa natureza! x)

    Küssen

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s